29 de julho de 2010


Vai...

A vida gritava aos poucos o que o coração fingia não ouvir.
No fundo ela sabia por qual caminho seguir...
Mas existe o coração, parte toda de um sim e de um não.
Essa é a dor que emite um som agudo, que chia, que geme e que chora bem baixo (engasgando).
Que implora e dança e suplica por um diferente existir.
Ela não gosta de doer, mas de vez em quando dói, dói sim.
Essa é a melancolia de quase amar – amando-, a melancolia que envolve um amor que é necessário fazer partir.
Um amor como uma casa que não se sustenta em seus alicerces fracos e cai.
E tenta-se reconstruí-la, mas novamente fraca, ela cai mais uma vez.
Dessa vez, a dor que ela sente não é a do desespero de um amor perdido: aquela dor histérica que berra e que não entende o porquê de sem amor viver.
É uma dor serena de que é necessário, sim!, dizer adeus. E ir.

Carolina Medeiros


Escreveu o último recado, no espelho, com letras vermelhas de batom:
Aquilo que foi perdido será inibido pela razão...
Palavras cheias de nada, nada oferecem a não ser um apelo do não.
E o que foi de intensa amargura morrerá junto com essa paixão,
Deixarei livre de estórias perversas meu maior tesouro: Meu coração.

Carolina Medeiros

23 de julho de 2010

(...) Eu nunca vou entender porque a gente continua voltando pra casa querendo ser de alguém, ainda que a gente esteja um ao lado do outro. Eu nunca vou entender porque você é exatamente o que eu quero, eu sou exatamente o que você quer, mas as nossas exatidões não funcionam numa conta de mais...

Mas aí, daqui uns dias.... você vai me ligar. Querendo tomar aquele café de sempre, querendo me esconder como sempre, querendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor. Me querendo no escuro. E eu vou topar. Não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer. Apenas porque você me lembra o mistério da vida. Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo."

Tati Bernardi

21 de julho de 2010


O tempo passou,
Eu continuei acordando e indo dormir todos os dias,
Querendo ser mais Feliz para ele, mais Bonita para ele, mais Mulher para ele.
Até que algo sensacional aconteceu.
Um belo dia Eu acordei Tão bonita, Tão feliz, Tão realizada, Tão mulher...
Que eu acabei me tornando Mulher Demais para ele.

Ele quem mesmo?


Tati Bernardi

"Ele é só um cara e você já esqueceu outros caras antes.
Ele é só um cara, é só um cara e não a sua vida.
E não todos os dias da sua história.
E não todas as suas lágrimas juntas em um único sábado solitário.
Ele não é o destino. É um cara. Existem muitos destinos.
E quer mesmo saber? É um cara como todos os outros caras.
Esse que te perguntou as horas no meio da rua, podia ter sido ele e você nem ligou.
O secretário. O vendedor. O segurança. O motorista. Ele estava ali o tempo todo.
E ele não estava. Ele é só um deles. Vários. Uma legião. E ninguém.
Ele é só um cara que mal sabe escolher os próprios caminhos. Não sabe amar.
Não sabe que nome daria a um filho. Não pode ficar mais tempo.
Ele é só um cara perdido como muitos outros caras que você Encontrou e Perdeu.
Ele é só um cara e você já esqueceu outros caras antes."


Autor desconhecido. ?

20 de julho de 2010


"Se pedisses ao Universo, ao céu, a todos os anjos e deuses, fadas e feiticeiros para esquecer aquela pessoa, mas em vez disso todos os dias te lembrasses mais do seu sorriso, da sua voz?!
É como se algo dentro de mim compactuasse com algo mais poderoso para contrariar o meu pedido.
É completamente devastador sentir-me assim.
Não sei como lidar com isto, tenho momentos de completo bloqueio.
Tudo o que sei é que estou cansada demais, que me fazes falta, que me faz falta ler as tuas palavras, que me faz falta ouvir-te... e que chegar a ti... bem, chegar a ti é quase impossível, se não impossível mesmo.
Respondendo a uma pergunta que eu própria fiz um dia:
"Inalcançável serás?" Eu acho que pelo menos para mim, sim.

Quem conseguir arrebatar o teu coração, acordar o Amor dentro de Ti, que o guarde para sempre, vale ouro."

Autor desconhecido.

19 de julho de 2010

Despedida


Existem duas dores de amor:
A primeira é quando a relação termina e a gente,
seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro,
com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva,
já que ainda estamos tão embrulhados na dor
que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.

A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços,
a dor de virar desimportante para o ser amado.
Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida:
a dor de abandonar o amor que sentíamos.
A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre,
sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também…

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou.
Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém.
É que, sem se darem conta, não querem se desprender.
Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir,
lembrança de uma época bonita que foi vivida…
Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual
a gente se apega. Faz parte de nós.
Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis,
mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo,
que de certa maneira entranhou-se na gente,
e que só com muito esforço é possível alforriar.

É uma dor mais amena, quase imperceptível.
Talvez, por isso, costuma durar mais do que a ‘dor-de-cotovelo’
propriamente dita. É uma dor que nos confunde.
Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos
deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por
ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos,
que nos colocava dentro das estatísticas: “Eu amo, logo existo”.

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo.
É o arremate de uma história que terminou,
externamente, sem nossa concordância,
mas que precisa também sair de dentro da gente…
E só então a gente poderá amar, de novo.

Martha Medeiros

Sentir-se amado


O cara diz que te ama, então tá. Ele te ama.
Sua mulher diz que te ama, então assunto encerrado.
Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se.

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e verbalização, apesar de não sonharmos com outra coisa: se o cara beija, transa e diz que me ama, tenha a santa paciência, vou querer que ele faça pacto de sangue também?

Pactos. Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia venha a dividir o caminho dos dois.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você, caso você esteja delirando. "Não seja tão severa consigo mesma, relaxe um pouco. Vou te trazer um cálice de vinho".

Sentir-se amado é ver que ela lembra de coisas que você contou dois anos atrás, é vê-la tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ela fica triste quando você está triste e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d´água. "Lembra que quando eu passei por isso você disse que eu estava dramatizando? Então, chegou sua vez de simplificar as coisas. Vem aqui, tira este sapato."

Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta.

Agora sente-se e escute: eu te amo não diz tudo.


Martha Medeiros


A fita métrica do amor



Como se mede uma pessoa? Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.

Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho.

Martha Medeiros

Crônica do Amor


Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no
ódio vocês combinam. Então?

Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a
menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama
este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura
por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.

Martha Medeiros

17 de julho de 2010



O tempo
Porque existem dois relógios na vida da gente?
Um corre desenfreado e sempre chega a hora de ir...
-Outro,
Pesa os ponteiros e a vida se arrasta numa espera sem fim...
Porque tem de ser assim?
Melhor seria carícias eternas;
E essa indizível sensação:
Peito, feliz em festa;
Saudade não existiria não.
Prometo-te então,
Fazer durar, cada instante de felicidade
Em nosso coração.

Autor desconhecido.

Tem dias que és doce realidade,
outros sonho distante...
Nem por isso menos amor.
Se a noite te leva
em meus sonhos estás;
Se a palavra se cala
meu coração pode te escutar.
Feliz é o encontro,
de real encanto;
quando teu sonho
vem me buscar...

Autor desconhecido.


Vou tentar falar de amor,
vou tentar não repetir o que já foi dito...
És o que toma o coração
que tira os outros sentidos
tudo passa pelo teu caminho...
Direi então, que és a pergunta e a resposta;
O suspiro que finda a espera;
O sorriso que brota do encontro;
A estrela que se busca, e se encontra no céu escuro...
Uma ternura tão grande que não se acredita caber em um só coração...
Te amo assim.

Autor desconhecido.

"Penso, com mágoa, que o relacionamento da gente sempre foi um tanto unilateral, sei lá, não quero ser injusto nem nada - apenas me ferem muito esses teus silêncios."

Caio F. Abreu

"Menos pela cicatriz deixada, uma ferida antiga mede-se mais exatamente pela dor que provocou, e para sempre perdeu-se no momento em que cessou de doer, embora lateje louca nos dias de chuva".

Caio F. Abreu

"Não, meu bem, não adianta bancar o distante: lá vem o amor nos dilacerar de novo."

Caio F. Abreu

16 de julho de 2010


"Um dia na vida pra pensar em que parte me esqueceu,
a gente sempre foi tão ligado...
Do nada se perdeu,
você se distrai em outro olhar,
num abraço menor que o meu.
Um dia na vida pra pensar em que parte me perdeu...
Se você é impossível de esquecer,
me deixe ao menos ouvir de você...
Quando foi que acabou?
O que foi que aconteceu?
Sem você tudo mudou e eu nem sinto que sou eu...
Me fala a verdade de tudo que já sei...
Um dia cheguei a perguntar se estávamos no fim?
Você chorando não queria ficar longe de mim.
Me deixe ao menos tentar entender, por que foi que não voltou?
Eu ainda te esperei...
Nosso tempo terminou e você insiste em não falar a verdade de tudo que já sei.
Eu espero que você não se arrependa do que deixou pra trás.
O meu coração que você fez sofrer até demais.
Você não mereceu o meu amor... e tudo chegou ao fim."

Autor desconhecido.

Por que ainda te amo...


"A felicidade não existe,
Pois ela se foi com você.
Sem você fico sensível
E em meus olhos é visível,
As lágrimas que rolam por ti.
Sem você fico desesperado,
A morte corre ao meu lado,
Pois não existe razão em viver.
Sem você fico insuportável,
Meu mal- humor é notável,
Pois nada tem importância para mim.
Sem você meu viver não tem sentido
E no mundo da solidão fico perdido,
Esperando você voltar.
Sem você fico assim,
Totalmente fora de mim..."

Autor desconhecido.

Às vezes...


"Às vezes é preciso aprender a perder, a ouvir e não responder, a falar sem nada dizer, a esconder o que mais queremos mostrar, a dar sem receber, sem cobrar, sem reclamar.Às vezes é preciso esperar que o tempo nos indique o momento certo para falar e então alinhar as idéias, dizer tudo o que se tem a dizer, não ter medo de dizer ‘não’.
Às vezes é preciso partir antes do tempo, dizer aquilo que mais se quer dizer, arrumar a cabeca, limpar a alma e prepará-la para um futuro incerto, acreditar que esse futuro já está perto, apertar as mãos uma contra a outra e rezar a um deus qualquer que nos dê forca e serenidade.
Pensar que o tempo está a nosso favor, que a vontade de mudar é sempre mais forte.
É preciso aprender que tudo tem o seu tempo e que esse tempo tem sempre um fim.Às vezes mais vale desistir que insistir, esquecer do que querer, arrumar do que cultivar.Às vezes é preciso mudar o que não tem solução, deitar tudo abaixo para voltar a construir do zero e bater com a porta, apanhar o último comboio sem olhar para trás, esquecer a voz, o cheiro, as mãos e a cor da pele, apagar a memória sem medo de a perder para sempre, esquecer tudo.Às vezes é preciso saber renunciar, não aceitar, não pedir nem dar, sair pela porta da frente sem a fechar, e partir para outro mundo, para outro lugar, mesmo quando o que mais queremos é ficar..."

Autor desconhecido.

Procuro em vão...


Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo.. isto é carência. Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar.. isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos..isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida..isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado.. isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto. Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma...

Francisco Buarque de Hollanda

Gostava tanto de você

Caminhos


"Nunca sabemos para onde vamos. Nunca sabemos até onde podemos chegar, nunca conhecemos os nossos passos, mesmo quando pensamos que escolhemos os melhores caminhos. (...)"

"Às vezes desistir é o mesmo que vencer sem travar as batalhas. Antigamente pensava que não, que quem desiste perde sempre, que a subtracção é a arma mais cobarde dos amantes, e o silêncio a forma mais injusta de deixar fenecer os sonhos. Mas a vida ensinou-me o contrário. Hoje sei que desistir é apenas um caminho possível, ás vezes o único que os homens conhecem."

"Do que eu tenho mais saudades é de acordar e não pensar em nada."

Margarida Rebelo Pinto

Não foram embora...


"E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre ."

Autor desconhecido.

Como se...


Como se às vezes eu buscasse
a solidão.
Eu buscasse me sentir mal,
me colocasse em mais problemas,
sofrimento e tristeza.
Me punindo pelo que sou,
pelo que fiz...
O mal que me faço,
A dor me me causo,
O preço que pago,
Por outros pecados que cometi.

Autor desconhecido.

E se eu disser


E se eu disser que te amo - assim, de cara,
sem mais delonga ou tímidos rodeios,
sem nem saber se a confissão te enfara
ou se te apraz o emprego de tais meios?
E se eu disser que sonho com teus seios,
teu ventre, tuas coxas, tua clara
maneira de sorrir, os lábios cheios
da luz que escorre de uma estrela rara?
E se eu disser que à noite não consigo
sequer adormecer porque me agarro
à imagem que de ti em vão persigo?
Pois eis que o digo, amor. E logo esbarro
em tua ausência - essa lâmina exata
que me penetra e fere e sangra e mata.

Ivan Junqueira

Românticos


Românticos são poucos
Românticos são loucos
Desvairados
Que querem ser o outro
Que pensam que o outro
É o paraíso...

Românticos são lindos
Românticos são limpos e pirados
Que choram com baladas
Que amam sem vergonha
E sem juízo...

São tipos populares que vivem pelos bares
E mesmo certos vão pedir perdão
E passam a noite em claro
Conhecem o gosto raro
De amar sem medo
De outra desilusão...

Romântico
É uma espécie em Extinção!

Vander Lee

15 de julho de 2010

Memória


Amar o perdido
deixa confundio este coração.
Nada pode o olvido
contra o sem sentido apelo do não.
As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis à palma da mão.
Mas as coisas findas
muito mais que lindas essas ficarão.


Carlos Drummond de Andrade

14 de julho de 2010

Para Mulheres


♥ Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe;
♥ Se ele não te quer, nada pode fazê-lo ficar.
♥ Pare de dar desculpas (de arranjar justificativas) para um homem e seu comportamento.
♥ Permita que sua intuição (ou espírito) te proteja das mágoas.
♥ Pare de tentar se modificar para uma relação que não tem que acontecer.
♥ Mais devagar é melhor. Nunca dedique sua vida a um homem antes que você encontre um que realmente te faz feliz.
♥ Se uma relação terminar porque o homem não te tratou como você merecia,”foda-se, mande pro inferno, esquece!”, vocês não podem “ser amigos”. Um amigo não destrataria outro amigo.
♥ Não conserte.
♥ Se você sente que ele está te enrolando, provavelmente é porque ele está mesmo.
♥ Não continue (a relação) porque você acha que “ele vai melhorar”. Você vai se chatear daqui um ano por continuar a relação quando as coisas ainda não estiverem melhores.
♥ A única pessoa que você pode controlar em uma relação é você mesma.
♥ Evite homens que têm um monte de filhos, e de um monte de mulheres diferentes. Ele não casou com elas quando elas ficaram grávidas, então, porque ele te trataria diferente?
♥ Sempre tenha seu próprio círculo de amizade, separadamente do dele.
♥ Coloque limites no modo como um homem te trata. Se algo te irritar,faça um escândalo.
♥ Nunca deixe um homem saber de tudo. Mais tarde ele usará isso contra você.
♥ Você não pode mudar o comportamento de um homem. A mudança vem de dentro.
♥ Nunca o deixe sentir que ele é mais importante que você… mesmo se ele tiver um maior grau de escolaridade ou um emprego melhor.
♥ Não o torne um semi-deus. Ele é um homem, nada além ou aquém disso.
♥ Nunca deixe um homem definir quem você é.
♥ Nunca pegue o homem de alguém emprestado.
♥ Se ele traiu alguém com você, ele te trairá.
♥ Um homem vai te tratar do jeito que você permitir que ele te trate.
♥ Todos os homens NÃO são cafajestes.
♥ Você não deve ser a única a fazer tudo… compromisso é uma via de mão dupla.
♥ Você precisa de tempo para se cuidar entre as relações. Veja as suas questões antes de um novo relacionamento.
♥ Não há nada mais precioso quanto viajar.
♥ Você nunca deve olhar para alguém sentindo que a pessoa irá te completar. Uma relação consiste de dois indivíduos completos, procure alguém que irá te complementar… não suplementar.
♥ Namorar é bacana. mesmo se ele não for o esperado Sr. Correto.
♥ Faça-o sentir falta de você algumas vezes… quando um homem sempre sabe que você está lá e que você está sempre disponível para ele, ele se acha.
♥ Nunca se mude para a casa da mãe dele. Nunca seja cúmplice (ou co-assine qualquer documento) de um homem.
♥ Não se comprometa completamente com um homem que não te dá tudo o que você precisa.
♥ Mantenha-o em seu radar, mas conheça outros…
♥ Compartilhe isso com outras mulheres e homens (de modo que eles saibam).
♥ Você fará alguém sorrir, outros repensarem sobre as escolhas e outras mulheres se prepararem.
♥ O medo de ficar sozinha faz que várias mulheres permaneçam em relações que são abusivas e lesivas
♥ Você deve saber que você é a melhor coisa que pode acontecer para alguém e se um homem te destrata é ele que vai perder uma coisa boa.
♥ Se ele ficou atraído por você à primeira vista, saiba que ele não foi o único.
♥ Todos eles estão te olhando, então você tem várias opções.
♥ Faça a escolha certa.

Cuidem Bem de seus Corações!!

Oprah Winfrey

Ame-se


"Fizeram a gente acreditar que amor mesmo,
amor pra valer, só acontece uma vez
acionado, nem chega com hora marcada.
Fizeram a gente acreditar que cada um de
nós é a metade de uma laranja, e que a vida
só ganha sentido quando encontramos a
outra metade.
Não contaram que já nascemos inteiros,
que ninguém em nossa vida merece carregar
nas costas a responsabilidade de completar
o que nos falta: a gente cresce através da
gente mesmo. Se estivermos em boa companhia
é só mais agradável.
Fizeram a gente acreditar que só há uma
fórmula de ser feliz, a mesma para todos,
e os que escapam dela estão condenados
à marginalidade. Não contaram que estas
fórmulas dão errado, frustram as pessoas,
são alienantes, e que podemos tentar outras
alternativas.
Cada um vai ter que descobrir sozinho.
E aí, quando você estiver muito apaixonado
por você mesmo, vai poder ser muito feliz
e se apaixonar por alguém."

Autor desconhecido.

O que não é amor


Se você precisa de alguém para ser feliz, isso não é amor
É CARÊNCIA.

Se você tem ciúme, insegurança e faz qualquer coisa para conservar alguém ao seu lado, mesmo sabendo que não é amado, e ainda diz que confia nessa pessoa, mas não nos outros, que lhe parecem todos rivais, isso não é amor
É FALTA DE AMOR PRÓPRIO.

Se você acredita que sua vida fica vazia sem essa pessoa; não consegue se imaginar sozinho e mantém um relacionamento que já acabou só porque não tem vida própria - existe em função do outro - isso não é amor
É DEPENDÊNCIA.

Se você acha que o ser amado lhe pertence; sente-se dono(a) e senhor(a) de sua vida e de seu corpo; não lhe dá o direito de se expressar, de ter escolhas, só para afirmar seu domínio, isso não é amor.
É EGOÍSMO.

Se você não sente desejo; não se realiza sexualmente; prefere nem ter relações sexuais com essa pessoa, porém sente algum prazer em estar ao lado dela, isso não é amor
É AMIZADE.

Se vocês discutem por qualquer motivo; morrem de ciúmes um do outro e brigam por qualquer coisa; nem sempre fazem os mesmos planos; discordam em diversas situações; não gostam de fazer as mesmas coisas ou ir aos mesmos lugares, mas sexualmente combinam perfeitamente, isso não é amor
É DESEJO.

Se seu coração palpita mais forte; o suor torna-se intenso; sua temperatura sobe e desce vertiginosamente, apenas em pensar na outra pessoa, isso não é amor
É PAIXÃO.


Agora, sabendo o que não é o amor, fica mais fácil analisar, verificar o que esta acontecendo e procurar resolver a situação. Mesmo que a situação se confunda às vezes para você, o correto é que avalie a "PRESENÇA" e a "AUSÊNCIA" de seu par na sua vida e diante do resultado de seus sentimentos irá perceber se algumas das situações acima são temporárias ou caracterizam definitivamente seu tipo de relacionamento. Porque a "convivência" faz com que o tempo transforme o que é AMOR em ETERNIDADE.

Autor desconhecido.

Amor e Loucura


Contam que uma vez se reuniram todos os sentimentos e qualidades dos homens em um lugar da terra. Quando o ABORRECIMENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre tão louca, lhes propôs:
- Vamos brincar de esconde-esconde?
A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada e a CURIOSIDADE sem poder conter-se perguntou:
- Esconde-esconde? Como é isso?
- É um jogo, explicou a LOUCURA, em que eu fecho os olhos e começo a contar de um a um milhão enquanto vocês se escondem, e quando eu tiver terminado de contar, o primeiro de vocês que eu encontrar ocupará meu lugar para continuar o jogo.
O ENTUSIASMO dançou seguido pela EUFORIA.
A ALEGRIA deu tantos saltos que acabou pôr convencer a DÚVIDA e até mesmo a APATIA, que nunca se interessavam por nada. Mas nem todos quiseram participar.
A VERDADE preferiu não esconder-se.
- Para que, se no final todos me encontram?
A SOBERBA opinou que era um jogo muito tonto (no fundo o que a incomodava era que a idéia não tivesse sido dela).
A COVARDIA preferiu não arriscar-se.
- Um, dois, três, quatro...
- começou a contar a LOUCURA.
A primeira a esconder-se foi a PRESSA, que como sempre caiu atrás da primeira pedra do caminho.
A FÉ subiu ao céu e a INVEJA se escondeu atrás da sombra do TRIUNFO, que com seu próprio esforço tinha conseguido subir na copa da árvore mais alta.
A GENEROSIDADE quase não consegue esconder-se, pois cada local que encontrava, lhe parecia maravilhoso para algum de seus amigos. Se era um lago cristalino, ideal para a BELEZA. Se era a copa de uma árvore, perfeito para a TIMIDEZ. Se era o voo de uma borboleta, o melhor para a VOLÚPIA. Se era uma rajada de vento, magnífico para a LIBERDADE. E assim acabou escondendo-se em um raio de sol.
O EGOÍSMO, ao contrário, encontrou um local muito bom desde o início. Ventilado, cômodo, mas apenas para ele. A MENTIRA escondeu-se no fundo do oceano (mentira, na realidade, escondeu-se atrás do arco-íris). E a PAIXÃO e o DESEJO, no centro dos vulcões.O ESQUECIMENTO, não recordo-me onde escondeu-se, mas isso não é o mais importante.
Quando a LOUCURA estava lá pelo 999.999, o AMOR ainda não havia encontrado um local para esconder-se, pois todos já estavam ocupados, até que encontrou uma roseira e, carinhosamente, decidiu esconder-se entre suas flores. A primeira a aparecer foi a PRESSA, apenas a três passos de uma pedra.
Depois, escutou-se a FÉ discutindo com Deus, no céu, sobre zoologia. Sentiu-se vibrar a PAIXÃO e o DESEJO nos vulcões. Em um descuido, a LOUCURA encontrou a INVEJA e claro, pôde deduzir onde estava o TRIUNFO. O EGOÍSMO, não teve nem que procurá-lo: ele sozinho saiu disparado de seu esconderijo, que na verdade era um ninho de vespas.
De tanto caminhar, a LOUCURA sentiu sede e ao aproximar-se de um lago, descobriu a BELEZA. A DÚVIDA foi mais fácil ainda, pois a encontrou sentada sobre uma cerca sem decidir de que lado esconder-se. E assim foi encontrando a todos. O TALENTO entre a erva fresca, a ANGÚSTIA em uma cova escura, a MENTIRA atrás do arco-íris (mentira, estava no fundo do oceano) e até o ESQUECIMENTO, que já havia esquecido que estava brincando de esconde-esconde. Apenas o AMOR não aparecia em nenhum local. A LOUCURA procurou atrás de cada árvore, embaixo de cada rocha do planeta e em cima das montanhas. Quando estava a ponto de dar-se pôr vencida, encontrou um roseiral. Pegou uma forquilha e começou a mover os ramos, quando, no mesmo instante, escutou-se um doloroso grito. Os espinhos tinham ferido o AMOR nos olhos. A LOUCURA não sabia o que fazer para desculpar-se. Chorou, rezou, implorou, pediu perdão e até prometeu ser seu guia.
Desde então, desde que pela primeira vez se brincou de esconde-esconde na terra, o AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha...

Autor desconhecido.

Meio perdida, na confusão do mundo, meio perdida na confusão de mim, meio perdida na confusão de tudo, meio perdida na confusão sem fim...

Eu perco o chão, eu não acho as palavras. Eu ando tão triste, eu ando pela sala. Eu perco a hora, eu chego no fim. Eu deixo a porta aberta eu não moro mais em mim. Eu perco a chave de casa, eu perco o freio, Estou em milhares de cacos, eu estou ao meio. Onde será que você está agora?

Metade - Adriana Calcanhoto

É preciso abandonar...
as roupas usadas,
que já tem a forma do nosso corpo,
e esquecer nossos caminhos,
que nos levam sempre
aos mesmos lugares.

É o tempo da travessia;
e se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado,
para sempre,
a margem de nós mesmos.

Autor desconhecido.

De tudo, ficaram três coisas:
A certeza de que estamos sempre começando,
a certeza de que é preciso continuar
e a certeza de que seremos interrompidos antes de terminar.
Portanto devemos: Fazer da interrupção, um caminho novo.
Da queda, um passo de dança. Do medo, uma escada.
Do sonho, uma ponte.
Da procura, um encontro.
"

Fernando Sabino


Já perdi as contas...


Já perdi as contas...
de quantas lutas perdi
brigando comigo mesma,
quantas vezes me feri e desisti
de me enfrentar,
vezes que tenho
medo de me encarar.

Brigas que não sei se tenho chance ou
se simplesmente tenho medo de ganhar.

Autor desconhecido.

Pensar em você é inevitavel...


Em meus pensamentos...
quantas vezes lá,
me pego conversando com você.

Quando você confia em mim
e você me responde quando
eu não não posso ouvir
e eu tento entender tudo aquilo
que você não me disse.

Assim, discutimos tudo aqui
que nunca foi dito...
Te digo tudo.

Pensar em você é inevitável.

Autor desconhecido.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...